Notícias

27/01/2020Gota

Trata-se de uma doença por depósito de cristais que atinge as articulações como resposta do organismo a alterações na taxa de ácido úrico no sangue. “Quando estas taxas se elevam, seja pela produção em excesso ou por falhas na eliminação dela, o paciente pode desenvolver a gota”, resume Dr. Antônio Demétrio, reumatologista.

De acordo com ele, esta é uma patologia que atinge mais os homens, sendo que os que estão com excesso de peso, têm o hábito de consumir bebidas alcoólicas e vida sedentária têm mais chances de ter a doença.

Os sintomas em geral são dores, inchaço e inflamação das articulações, causada pelo excesso de ácido úrico. “O paciente se queixa de dor que se intensifica na madrugada”, completa o especialista. Outro fator que pode acontecer é a formação de cálculos nos rins, que também provocará dor, a conhecida cólica renal.

O paciente costuma ter o que se chama de “crise de gota”. Dentre os aspectos que favorecem este quadro está o consumo de álcool, em especial vinho tinto e cerveja, consumo de alimentos ricos em purina, trauma físico, cirurgias, quimioterapia e uso de diurético.

Não há cura para a gota e, sim, tratamentos para aliviar a dor e a inflamação e reduzir os níveis de ácido úrico no organismo para evitar novas crises. É muito importante ter acompanhamento médico para minimizar as crises. “Sem o tratamento correto, o intervalo entre elas reduz e a intensidade aumenta. Além disso, a gota pode prejudicar as articulações, levando até à deformação delas”, alerta Dr. Antônio Demétrio.

A recomendação para os pacientes inclui beber bastante água e evitar o consumo de álcool e de alimentos como carne vermelha, frutos do mar e miúdos quando o ácido úrico estiver elevado.

 

Dr. Antonio Demétrio

CRM 26291 PR

RQE 16362

Convênios